CORECON-GO - Conselho Regional de Economia

Telefone: (62) 3218-3311

Notícias » CORECON-GO é contrário ao fim da obrigatoriedade do diploma em Economia

CORECON-GO é contrário ao fim da obrigatoriedade do diploma em Economia

No Brasil aprendemos que podemos nos curar de qualquer doença com um simples chá, sem consultar um especialista. Que podemos construir nossa casa apenas riscando num papel, sem o aval de um engenheiro e da mão de obra de um pedreiro. Que para curar uma dor de dente basta criar coragem para arrancá-lo, ao invés de procurar um dentista. Assim se seguem vários absurdos que cometemos diariamente. Mesmo assim nossa convicção é que somos chamados de “gênios”.
 
Observando isso tudo, não nos estranha aparecer agora um grupo que vêm defendendo um manifesto pelo fim da "obrigatoriedade de cursar uma graduação em Ciências Econômicas e estar credenciado pelo conselho de classe para atuar na área". Muito embora não acreditamos em chances de se prosperar, e não passar de uma forma de autopromoção, é bom que nos previnamos, considerando tantas aberrações que temos acompanhado em nosso País nos últimos tempos.
 
Ressalta-se que como em qualquer profissão existe sim o risco de erros, não somos imunes a isso, todavia não há dúvidas que tais erros tenderiam a ter um crescimento exorbitante sem a devida formação do profissional e, claro, sem também sua fiscalização para reduzir ao máximo o risco do exercício da profissão por maus profissionais. Além disso, o fim da obrigatoriedade do diploma provocaria uma evasão nos cursos de Economia e causaria um enorme prejuízo para empresas e governos por uma decisão errada.
 
Talvez a ideia seja sim retornarmos à época em que nos dirigíamos a dentistas práticos ou curandeiros para sanar nossos maus ou mesmo que qualquer prédio ou ponte possa ser construído sem o acompanhamento de um engenheiro, permitindo que qualquer pessoa possa estar atuando sem problemas, preenchendo as vagas nos hospitais, e abertamente sem nenhum compromisso ou fiscalização, já que o erro faz parte do risco e, neste caso, como economistas não nos preocuparíamos que também nossa profissão possa ser exercida por profissionais desabilitados.
 
De tal forma que o Conselho Regional de Economia de Goiás manifesta-se totalmente contrário ao absurdo do fim da obrigatoriedade do diploma e informamos que ainda não tínhamos nos posicionado, aguardando algumas ações que estamos procurando realizar conjuntamente com os demais Conselhos, e que já estão sendo colocadas em prática, das quais faz parte este manifesto.
 
Chama-se a atenção ainda para um Projeto de Lei de nº 8.423/2017, em andamento na Câmara dos Deputados, proposto pela Deputada SIMONE MORGADO, que, acreditem, se apresenta como economista, em que transfere para os Contadores - aos quais mantemos nosso total respeito - atribuições exclusivas de economistas. Também a este PL nos manifestamos completamente contra e conclamamos a todos a também se manifestarem individualmente contra tais absurdos de todas as maneiras que puderem, especialmente dando sua assinatura no abaixo assinado contra tal projeto que pode ser realizado acessando ao endereço http://www.peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=BR101914.
 
Agradeço a todos os colegas economistas e alerto para a necessidade de estarmos unidos no combate a todos os ataques que nossa profissão venha sofrer hoje ou sempre.

Ass: Joaquim da Cunha Bastos Junior - Presidente do Conselho Regional de Economia de Goiás

Mapa da Localização
CONSELHO REGIONAL DE ECONOMIA DA 18ª REGIÃO
RUA 86, Nº 617, SETOR SUL.
GOIÂNIA-GO - CEP: 74.083-330
FONE: (62) 3218-3311

CORECON NAS REDES SOCIAIS

YouTube

Desenvolvido por WLIB Soluções para Internet